Curiosidades #3 - Angellore



"Com certeza, a experiência de se publicar o primeiro livro é, de longe, uma das melhores que já experimentei a vida toda."
     Desde muito jovem eu sempre sonhei em ser escritora e em algum dia poder fazer disso prioridade na minha vida. Descobri minha vocação aos 9 anos, e aos 12 comecei meu primeiro romance (que não cheguei a publicar) intitulado Os Sete Medalhões – A Lenda, o qual só fui terminar aos 18 anos. Eu ainda era muito imatura literariamente falando, e após perceber que eu ainda precisava amadurecer muito como escritora, decidi guardar esse projeto na gaveta e buscar por uma evolução literária.
     Ingressei na faculdade de letras e me joguei de cabeça nos meus estudos, no mundo da leitura e em tudo aquilo que estivesse relacionado à literatura, numa busca por aprimorar meus conhecimentos. Então, quando me senti preparada, iniciei Angellore e pela benção de Deus e receptividade ao meu trabalho, recebi um “sim” da Modo Editora e desde então me encontro numa etapa maravilhosa da minha vida.
     Mas me sinto feliz não unicamente pelo fato de estar realizando um sonho, como também, por ver que meu trabalho foi reconhecido, e que todo o esforço que tive ao longo da minha vida e empenho foram mais do que válidos e me ajudaram a conquistar o espaço que eu tanto almejei. 
     A receptividade dos leitores com relação à Angellore também vem sendo muito boa, na verdade, mais do que eu poderia esperar. Eles estão cativados pela história e intrigados com o tipo de enredo que existe por trás da capa (muito linda, por sinal), o que é uma recompensa e tanto para mim, e uma alegria enorme.
     Eu adoro conversar com cada um dos meus leitores, falar sobre o livro e ouvir suas expectativas, é incrível. Atualmente divido meu tempo entre a faculdade, um estágio, a confecção do segundo volume de Angellore e a etapa de publicação do primeiro, além da divulgação e da administração das redes sociais do livro, mas apesar do cansaço e da correria, é realmente tudo o que eu sempre quis.
     Só posso agradecer a Deus por ter abençoado tanto o meu caminho e por editoras como a Modo, que acreditam e apostam no trabalho dos novos escritores, e, principalmente, os nacionais.


Falando um pouco mais sobre literatura:
     
Minha carreira com a Literatura começou quando eu ainda era criança. Me lembro de ter sido na escola, quando a professora de português mandou os alunos escreverem uma redação de uma página usando um recorte de jornal como base para nossas histórias, e a minha redação foi maior do que de qualquer outra criança. Eu já gostava de redigir contos infantis bem antes disso, mas foi nesse dia que realmente percebi meu gosto pela Literatura. Outro fator que despertou em mim a atração pela Literatura foi o hábito da leitura. Um dia, quando eu tinha oito ou nove anos, não me lembro bem, ganhei um livro do meu pai chamado O Menino do Dedo Verde, e desde então não parei mais de ler.
Um fato que me marcou, acredito que foi durante a divulgação pela internet que realizei do meu primeiro romance. Recebi muito apoio, ganhei meus primeiros leitores e até hoje as pessoas me conhecem por causa desse livro, me perguntam sobre ele e sobre quando voltarei a divulgar; é realmente gratificante. Graças a todo esse carinho que muitas portas se abriram para mim no mundo literário.
Um tema que gostaria de escrever e ainda não escrevi, Com certeza é a ficção científica. Meu forte de escrita sempre foi a fantasia épica, e em Angellore também me aprimorei no romance sobrenatural, mas a ficção científica me parece um tema mais complexo, eu precisaria me dedicar muito à pesquisas e embasar bem o enredo. Talvez um dia eu ainda me arrisque (risos).
Meu relaciono com meus personagens é bem intenso. Quando eles nascem, à medida que vou ganhando intimidade com eles, me apaixono perdidamente por cada um, vou conhecendo-os, entendendo-os melhor, me coloco dentro deles, vejo o mundo como eles veem, e isso acaba tornando a tarefa de escrever ainda mais prazerosa do que realmente é. Meus personagens são quase como filhos, e essa capacidade de se materializarem na minha mente é o que faz com que ganhem autonomia e transformem a história em algo muito mais real e palpável ao leitor.
Antigamente, no período em que eu tentava publicar meu primeiro romance, eu via o mercado editorial como um monstro de sete cabeças, feroz e assustador. Na medida em que fui amadurecendo, percebi que era eu quem precisava evoluir como escritora para poder fazer uma escrita realmente boa e me destacar. Foi então que ingressei na faculdade de Letras, certa do meu desejo de me aprimorar e evoluir. Hoje em dia, o mercado editorial pra mim se mostrou seletivo, mas aqueles que realmente se dedicam em fazer um bom trabalho conseguem conquistar esse meio, assim como atingir leitores de todos os tipos, dos mais desinteressados aos mais exigentes.
Obviamente, minha opinião também mudou graças às portas que as editoras vem abrindo para os novos autores, particularmente, valorizo muito o trabalho daqueles preocupados em mostrar aos leitores o quanto a literatura nacional é mágica e tão boa, ou melhor, quanto a estrangeira (afinal de contas, dominar a língua portuguesa, complexa como ela é, já é um adicional a mais).

Olívia Giacomelli é uma investigadora de polícia especializada em complexos casos de assassinato. Competente, ela sempre conseguira resolver com êxito cada um deles, nunca encerrando um crime sem solucioná-lo. No entanto, uma sequência de mortes misteriosas vinha ocorrendo desde 2007 sem que o assassino deixasse rastro. Sophie, uma jovem universitária perseguida por sombras sinistras, tenta superar a ausência da família que morrera num terrível acidente de carro no reveillon de 2008. Em busca por respostas, os caminhos de Sophie e Olívia se cruzam e ambas irão se deparar com uma realidade aterradora. Elas se veem em meio a uma batalha invisível que desde sempre era travada por seres imortais: os Angellores. Agora, elas estão num terreno obscuro e assustador, precisarão se arriscar para descobrir a verdade que mudará suas vidas para sempre.

Se quiserem conferir a primeira resenha de Angellore clique Aqui!

Gostarão de conhecer um pouco mais sobre Angellore e sua Autora Gabrielle? 
Gabrielle Venâncio Ruas foi a primeira autora parceira do Livros Lovers, muito simpática e amigável juntas tornamos possível esta parceria, e para "comemorar" o lançamento do tão esperando livro, iremos realizar o primeiro Book Tour do Livros Lovers \o/
Em breve publicarei as regras, fiquem ligados ;)

Beijos a todos e não deixe de Comentar *-*

Comentários
3 Comentários

3 comentários:

  1. Oi Gih!
    Faz um tempinho que quero ler Angellore até por que a Gabi é parceira do blog, e além disso a sinopse e os personagens me cativaram...ainda não comprei o livro por falta de maney espero que esse detalhe seja resolido logo^^
    Beijos
    Amanda
    leiturahot.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Wanessa Guimarães01/08/2012 17:43

    To louca para ler o livro da Gabi! *O*

    Beijos,www.estanteseletiva.com

    ResponderExcluir
  3. Muito bom o livro, quero ler! Parabéns a autora e muito sucesso! Ah! Dá uma passada lá no blog, te indiquei para um meme bem bacana.
    Beijos!
    Camila - Meu Livro Cor-de-Rosa
    http://meulivrocorderosa.blogspot.com.br/  

    ResponderExcluir