Resenha Nacional - Agridoce

Autor(a): Simone O Marques
Editora: Modo
Número de páginas: 282
Avaliação: ☆ ☆ ☆ ☆ 



Anya é uma garota comum, estudante de gastronomia e que mora em Florianópolis. Certa noite, ao passear pela praia ela sente um aroma que a atrai terrivelmente, um perfume, uma mistura de fragrâncias que mexe com todos os seus sentidos. Na noite seguinte ela e vê perseguida pelo aroma e descobre que ele vem do corpo de um belo banhista que sai do mar. Cedendo ao impulso, ela vai até ele. Surpreendendo-o, ela o lambe e encosta o nariz em sua pele. Atormentada pelo aroma, ela precisa experimentar, então, alcança seu pescoço e o morde numa veia pulsante. Anya então descobre o prazer de degustar o sangue doce, que a fazia pensar em frutas flambadas, temperado com o sal da água... o sabor agridoce que a desperta para uma necessidade vital que fará parte de sua vida à partir de então, a necessidade de sangue...


Minha Opinião:

 Primeiro livro da editora Modo que tenho a oportunidade de ler, o exemplar foi a própria editora que enviou \o/
  Sendo este é o primeiro livro de uma trilogia escrita por Simone O Marques.
Agridoce é uma doce descoberta. Estamos um pouco “fartos” de literatura vampiresca, e ficamos um pouco receosos com o tema. Quando imaginamos que ninguém conseguira criar um enredo diferente e interessante, descobrimos Agridoce que se mostra surpreendente.
Anya uma “garota” de vinte anos que vive sua vida pacata as sombras do pai super protetor. Com uma alergia ao Sol, ela viveu seus 20 anos passando os dias presa em casa e só podendo sair à noite. Foi em uma suposta noite comum que Anya foi seduzida por um aroma agridoce. Este a deixando totalmente atormentada. Na seguinte noite, ela se vê perseguida novamente pelo aroma. O mais surpreendente é que o aroma vem de um homem.

"Estava ali o sabor que tanto procurava, o doce sangue que a fazia pensar em frutas flambadas, temperado com o sal da água do mar, a perfeição...o sabor agridoce..."


   Após este acontecimento Anya se vê despertada para uma nova condição de Vida. Uma “doença genética” que a faz precisar de sangue para sobreviver. A cada “despertar” de um vampiro, junto desperta o escravo a quem serve sangue para determinado vampiro, e não pode ser morto facilmente ao ser “sugado”, o Caçador que tem a função de aniquilar determinado vampiro. Junto eles formam um triangulo despertado. Isto ocorrendo sucessivamente, a cada novo vampiro, sempre haverá um escravo e um caçador.
   O que na minha humilde opinião foi justamente o diferencial da obra da Simone, este detalhe dá inúmeras possibilidades ao enredo. O escravo de Anya conquistou meu coração. Haha. Daniel um “ex” garoto de programa, galanteador que tem plena consciência o efeito que provoca nas mulheres – acho ate que deve ser um talento – suas cenas com Anya tem um toque de erotismo que me conquistou, sendo isto também um diferencial, não você não vai ver cenas de sexo, porem a sensualidade esta carregada em cada palavra dos diálogos que trocam enquanto Anya se alimenta. Ameii!

“Daniel estava fascinado, excitado e ansioso. Quando Anya passou a língua pelo seu peito, o gemido saíra involuntariamente. Ele apertou as mãos na cintura delicada dela. Queria e precisava que o mordesse… era isso! Era indescritível o prazer que sentia com os dentes dela perfurando sua pele e atingindo a veia de seu pescoço…”

   O Caçador de Anya não conseguiu despertar minha antipática, eu gostei dele. Mas tenho certeza que a ideia da autora foi justamente essa. Você é um salvador de vidas, um homem bom e integro, mas de repente desperta atormentado com um desejo que se descobre assassino. Estou muiiiito curiosa para saber como isso vai terminar. Pois gostei de Dante – o Caçador – entretanto para segurança de Anya o melhor é ele estar morto, e agora?
   O livro é em terceira – pessoa e gira em torno de todos os personagens, sendo um capitulo de determinado personagem, um paragrafo de outro, no próximo paragrafo já de outro personagem. Porem engana-se se acha que ficou confuso, de maneira alguma a leitura é super-rápida, fluente e de fácil entendimento. Só tenho uma observação de algo que não gostei na história, os diálogos entre Anya e seu pai, achei que existiu muito: "O que foi, filha? Não sei, pai! Nossa filha! Pois é, Pai!" Esses são exemplos, mais simplificando muitas “filhas” e “pais” no dialogo, acabou em certas cenas ficam muito meloso. Mais tirando isso o resto esta ótimo. O livro em si é muito bonito, uma fonte bonita, com detalhes nas páginas, ficou um charme.
   Acabei a leitura desejando demais o próximo volume: Cítrico...

Não deixe de Comentar ;)

Comentários
3 Comentários

3 comentários:

  1. Thais Leite27/07/2012 09:20

    Adoro seu Blog!
    sempre passo por aqui apesar de quase não comentar
    Tem Selinho pra vc no meu blog =)Atual Woman BlogFanpage Atual WomanTwitter Atual Woman

    ResponderExcluir
  2. Amei sua resenha. Lembro que tinha lido alguma coisa sobre esse livro e gostei bastante, ainda mais agora com sua resenha. Muito Bom! Beijos!
    Camila - Meu Livro Cor-de-Rosahttp://meulivrocorderosa.blogspot.com.br/ 

    ResponderExcluir
  3. Ganhei Agridoce de uma amiga e gosto da capa e do nome do livros. É como Encontro na Noite, tem alguns poucos livros de vampiros que dá pra ler.

    ResponderExcluir