Resenha: A Menina que Semeava

Autor(a): Lou Aronica
Editora:  Novo Conceito
Número de páginas: 416
Avaliação: ☆ ☆ ☆ ☆  

É preciso noite
Para Surgir o Dia.

Chris Astor é um homem de seus quarenta e poucos anos que está passando pelo mais difícil trecho de sua vida. Ele tem uma filha, Becky, de 14 anos, que já passou imensas dificuldades até chegar a se tornar uma moça vibrante e alegre, mas que parece que terá que enfrentar mais um grande problema em sua vida. Quando Becky era pequena e teve câncer, Chris e ela inventaram um conto de fadas, uma fantasia infantil que adquiriu vida e tornou-se um terrível, provavelmente fatal, problema. Agora, Chris, Becky e Miea (a jovem rainha da fantasia criada por pai e filha) terão que desvendar um segredo: o segredo de por que seus mundos de fantasia e realidade se juntaram neste momento. O segredo para o propósito disso tudo. O segredo para o futuro. É um segredo que, se descoberto, irá redefinir a mente de todos eles.A menina que semeava é um romance de esforço e esperança, invenção e redescoberta. Ele pode muito bem levá-lo a algum lugar que você nunca imaginou que existisse. Uma fantasia que trabalha assuntos densos como a separação dos pais, oncologia infantil, separação de filha e pai, adolescência. A menina que semeava não é um livro sobre adolescentes comuns. É sobre uma que se deparou prematuramente com a ameaça do fim e teve de tentar aprender a lidar com ele.
Minha Opinião:

 Becky ainda criança provou em como a vida pode ser difícil, aos 5 anos ela teve Câncer, mais especificamente leucemia. Nesta fase difícil, seu pai Chris, um pai que ama a filha acima de tudo, teve a ideia de criar um novo mundo. Juntos, pai e filha irão criar um mundo de fantasia chamado Tamarisk, assim ocupando a cabecinha desta criança, eles literalmente criaram um novo mundo, pensando em simples detalhes como; reinado, arvores, cores, cheiros, em até desenvolver novas especies e jogos, civilizações, é uma grande criação.
   Entretanto, hoje Becky com 14 anos, a algum tempo decidiu que já era hora de deixar Tamarisk de lado, em sua infância. Agora ela vive com a mãe casada com outro homem, e a relação tão bela entre pai e filha fica estremecida. Mas tudo muda quando sua doença retorna, e seu pai e Tamarisk são os únicos a representarem algum tipo de esperança para Becky.
"Pai, você não vai acreditar nisso: Tamarisk é real."
Neste contraste de mundo real, conhecemos Tamarisk e somos apresentados a todo o reino pela princesa Miea. Tamarisk é belíssimo, a vontade que temos é de poder viajar para lá para conferirmos tudo por nós mesmos. Mas, como Becky, este mundo também esta doente, e o que será necessário para ambos se curarem?
“Miea deixou seus dedos roçarem suavemente a terra escura. Era difícil acreditar que algo tão destrutivo pudesse estar florescendo ali. Mas era ainda mais difícil negar seus instintos.”
   A história é muito bonita, com um enredo emocionante. Os personagens foram muito bem construídos, o amor de Chris por sua filha é algo belo, verdadeiro. Este contraste de mundo real versus fantasia tornou tudo mais interessante. Eu gostei do livro, mas tenho consciência que muitos por aí amaram, eu gostei e já estou satisfeita com isto. haha
Ps: Resenha meia-boca néh? Estou com a cabeça doendo, mas escrevendo a resenha, então, sorry. :/

“Não importava que muitas promessas não fossem realizadas. O que importava era que a esperança continuasse a existir.”

Comentários
10 Comentários

10 comentários:

  1. Oi Gih, a resenha pode ter sido meio boba (vc que disse hahaah) mas eu gostei, nao tinha prestado mta atenção no livro ate ler seu Lendo no momento a nao ser a capa q desde o lançamento me chamou a atençao :)

    E percebi que apesar de ser um livro de fantasia, eu posso sim gostar mto dele só pelo fato desse amor entre pai e filha e do cancer e tal... quem sabe posteriormente eu consiga ler :D

    Boa semana!

    http://mensagensreflexoesemais.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi Gih!

    Gostei da resenha, não esperava nada disso... amo a capa acho linda demais!

    Quero muito ter a oportunidade de lê-lo!

    bjo^^

    ResponderExcluir
  3. Este livro tem tudo para entrar para meus favoritos. Com uma história fantástica (em todos os sentidos), sensível e muito bem narrada, não tem como não se interessar. Aliás, acho que a autora foi extremamente feliz ao escrever sobre um tema tenso de forma tão bacana. Quero muito ler!
    bjs

    ResponderExcluir
  4. Ainda não sei o que esperar dessa trama, talvez depois de ler mais algumas opiniões a respeito do mesmo, consiga me decidir...

    ResponderExcluir
  5. Ainda não sei se vou ou não gostar desse livro, não gosto muito dessa temática de câncer e etc. Talvez quando eu abrir um pouco minha mente eu leia ele, por agora deixarei de lado. :/

    ResponderExcluir
  6. Ah, agora entendi. Li em algum lugar que dizia que ela era esquizofrênica. Não sei se é o caso, já que às vezes as pessoas vão para um mundo imaginário como proteção ao que se passa no mundo real. Não li o livro mas acredito que o problema ilusório dela, seja isso.
    Vou ler esse livro.

    ResponderExcluir
  7. Gostei do enredo do livro, parece emocionante. Quando vi o livro pensei que era um tipo de fantasia, mas gostei mais dessa premissa.

    ResponderExcluir
  8. Olá Gih!
    Como disse estou curiosa com esse livro a sinopse me deixou interessada!
    Sua resenha me deixou ainda com mais vontade de ler o livro, estou precisando de um livro emocionante!! rs'
    beijos,
    lovesbooksandcupcakes.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Olá Gih!
    Achei a resenha bem legal, curta, porém direta e sincera. O livro acabou me conquistando completamente, tanto pela capa, como pela sinopse, e pela resenha. Irei marca-lo no skoob, e irei tentar ler o mais rápido possível.

    Abraços!
    www.tyciahadiresenhas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Adorei a sinopse do livro e adorei sua resenha. Muito interessante: uma mistura de sick lit com literatura fantástica e drama. Tem que ser um escritor completo para ser capaz de fazer toda essa mistura. Não sou muito fã de sick lit, mas o livro me conquistou pela forma como o pai usa a fantasia para tornar o mundo conturbada da filha em algo mais suave.

    Parabéns!!!

    Adriana Medeiros - minha Velha estante
    minhavelhaestante1.blogspot.com

    ResponderExcluir